A Religião Mete Nojo

Ora ai está. Segundo a última resolução da ONU acabei de cometer uma violação aos direitos humanos! E mais, fi-lo intencionalmente e gratuitamente! Fico agora à espera de ser formalmente acusado.

Pois é, a ONU votou e aprovou o mês passado, uma resolução que condena como violação dos direitos humanos a difamação da religião. A proposta foi apresentada pelo Paquistão mas também foi votada favoravelmente por países cristãos/católicos.

In TVNET Link Indisponível

In Estadão, 27 de Março 2009

AVISO : Nunca me lembro de ter escrito nada tão crú e violento contra a religião e as pessoas que acreditam nelas, mas agora que é “PROIBIDO” faço questão de o fazer. É a vida…

Pela parte que me toca faço questão – mais do que nunca – de dizer mal das religiões. Não passam de sistemas baseados em mentiras e histórias da carochinha.

Que as pessoas acreditem em deus, um ser superior que nos protege/maltrata/domina/ignora, ainda aceito. Agora que acreditem que as religiões e as regras estúpidas que inventaram a partir do nada têm alguma coisa a ver com essa suposta criatura, deixa-me MUITO TRISTE com a pobreza de espírito das pessoas.

A religião já teve, em tempos, motivo para existir. Serviu para manter as pessoas únidas – mais vezes para o mal que para o bem – e para  acalmar medos . Nas épocas em que não havia ciência e nenhum conhecimento da física e da química que movem o universo, a religião era a melhor explicação. Na falta de melhor explicação – era deus. Agora não, o nosso conhecimento sobre o fucionamento das “coisas” é vastissimo e há cada vez menos espaço para explicações sobrenaturais. Existem obviamente muitas coisas por explicar, mas a resposta para elas não é deus, é : Não sabemos!
Não sabemos tudo, e qual é o problema? Acabaremos por saber.. ou não. E qual é o problema?
Essa mania de tentar explicar o que não se percebe  com explicações irracionais – ou  de ignorar as explicações que existem -, já chateia, JÁ METE NOJO!

video:

 

Aborto: infecções e perfurações de órgãos deixaram de existir com nova lei

“…Francisco George anunciou que, em consequência da nova legislação, foram eliminadas as complicações associadas ao aborto clandestino, nomeadamente as perfurações de órgão e as infecções. «Deixaram de surgir nas urgências hospitalares casos de órgãos perfurados e infecções» associados ao aborto clandestino. …”

In Público

Portugueses de Merda

Português de Merda : Todo aquele que vota num político que é comprovadamente corrupto/ladrão e depois ainda têm o descaramento de dizer: “Isto só em Portugal”, “Andam lá todos para o mesmo” e “São todos iguais”.

Exemplo: os eleitores de Oeiras que dizem que vão votar Isaltino depois de o próprio ter dito que colocou o dinheiro que sobrou na campanha eleitoral numa conta – em nome de um sobrinho – na Suiça porque era o que toda a gente fazia [sic] e de não ter declarado todo o património o IRS porque “[as declarações de rendimentos] nunca foram levadas a sério”.
—————————————
ACTUALIZAÇÃO 8/10/2011 : Ontem alguém comentou este artigo com  todo o tipo de insultos aos Portugueses (o comentário  era demasiado badalhoco, por isso apaguei-o). Tendo em consideração a altura do ano e o facto de o moço ser/estar no Funchal deixa adivinhar que algum apoiante do “Seu” Jardim se reviu no artigo. É a vidinha…

Fade In

“É com prazer, com descarada pretensão, e com assumida imodéstia, que volto a assinar, ainda que avulso, a página de um jornal onde semanalmente escrevi durante 14 anos. Foi aqui que ao longo de quase década e meia rubriquei os primeiros artigos de opinião e as primeiras críticas de alguns dos nomes regionais que hoje singram nacional e internacionalmente. Aqui, escrevi sobre o potencial e o talento inato de David Fonseca mesmo antes deste formar
os Silence 4. Aqui me debrucei sobre os The Gift muito antes da crítica em geral, e aqui vaticinei, em primeira mão, sobre Mikroben Krieg, Phase, The Allstar Project, Born A Lion, Loto, Yesterday, Dapunksportif, ESC, Gomo, entre tantos, tantos outros…
Por isso, hoje, num acto egocêntrico e com laivos de desavergonhado narcisismo, apetece-me partilhar com
todos vós, não uma qualquer descoberta de um novo talento artístico do burgo, mas o imenso orgulho que sinto em
liderar um projecto único, que vem dando cartas desde 2001, e o qual, valter hugo mãe, escritor agraciado com o
prémio literário José Saramago, assim definiu: “Em Leiria, um grupo de malta sexy criou o Fade In, que é como quem
diz, uma contínua oferta de boa música, escolhida a dedo entre a vanguarda mais excitante do
planeta”. É sem exagero que vos digo que o Fade In é um projecto ímpar em Portugal.
Primeiro, porque embora tenha a mais que legítima aspiração, não tem qualquer tipo de apoio institucional como nos casos do Theatro Circo, CAE, Casa da Música ou ZDB, todos eles fortemente apoiados pelas respectivas câmaras municipais. É, aliás, sem nenhum pudor que afirmo peremptoriamente que a qualidade da programação musical anual do Fade In está à altura da de qualquer uma destas instituições. Segundo, porque é gerido por um pequeno grupo de voluntários não remunerados da qual sou apenas a face mais visível, que na sua militância fazem, simultaneamente, os papéis de mecenas, dinamizadores culturais, e de vendedores de sonhos. Terceiro, porque apesar de todos estes condicionalismos, apresenta no seu exuberante e transversal currículo de quase 100 artistas, alguns dos nomes mais reputados do universo e, para mim particularmente, algumas das grandes bandas da minha vida: Laibach, Michael Gira, Silver Mt Zion, Deine Lakaien, Combichrist, Xiu Xiu, Das Ich, In The Nursery, Sieben, Matt Elliott, Ataraxia, Von Magnet, Jarboe, Diary Of Dreams, Spiritual Front, Qntal, Final Fantasy, Die Form ou Smog. E dizer-vos que vi todos estes artistas, ao vivo, sem sair da minha cidade, seria coisa impensável há meia dúzia de anos, sobretudo se observarmos o facto de muitos deles terem sido estreias absolutas e datas únicas em Portugal!
Que mais será preciso fazer para que a nossa edilidade abrace sem timidez o projecto Fade In, erguendo-o com uma das suas bandeiras de cultura viva, aproveitando a sua dinâmica, personalidade e o seu reconhecimento transnacional, para afirmar Leiria como pólo único de cultura diferenciada na Península Ibérica? Haja coragem!”

Carlos Matos in Jornal de Leiria

Petição : Destituição de Domingos Névoa da presidência da Braval

To:  Câmaras municipais de Braga, Póvoa de Lanhoso, Amares, Vila Verde, Terras de Bouro e Vieira do Minho

Considerando que Domingos Névoa foi eleito, por unanimidade, presidente da empresa intermunicipal “Braval”, de modo indigno para a democracia, a transparência e a luta contra a corrupção.

Considerando que o referido cidadão foi condenado a 23 de Fevereiro pelo crime de corrupção activa, na sequência da tentativa de corrupção do vereador da Câmara de Lisboa José Sá Fernandes.

Considerando que como agente corruptor Domingos Névoa deve merecer a censura e não o prémio daqueles que são eleitos pelo povo para gerirem a coisa pública.

Os abaixo-assinados reclamam junto das câmaras municipais de Braga, Póvoa de Lanhoso, Amares, Vila Verde, Terras de Bouro e Vieira do Minho, para que reconsiderem na sua decisão e destituam Domingos Névoa do cargo para que foi eleito.

Portugal, 31 de Março de 2009

———————————————————————————————————————-

Podem assinar AQUI

Novo site/blog – IIIUUUPPPIIIIIII

Finalmente vou tratar do meu site pessoal que tem andado pelas ruas da armargura.

A minha vida online vai ficar assim organizada:

O site/blog vai ficar em:
https://fun.claudiotereso.com

O site/blog profissional (já) está em:

Entrada

Os posts do blog novo vão continuar a ser sincronizados com o blog actual em: claudiotereso.spaces.live.com

Não sei se interessa a alguém, mas pronto, aqui fica a informação 😉

Cláudio nas Nuvens