Pirinéus : Agosto 2012

Diário

DIA 0

Cá vamos nós a caminho de Celorico da Beira para o danças na água. Vamos lá passar o dia e noite de amanhã e depois, Sábado, seguimos Espanha adentro.

Acompanhe aqui os relatos de dois tipos à boa vida. 🙂

 

DIA 1

Já chegamos a noite passada ao recinto do festival andanças, este ano em Celorico da Beira. Estávamos a pensar acampar por lá, pois o ambiente era calmo, mas mudámos de ideias depois de ver os sanitários. Rumámos a casa da … que devia estar à nossa espera, mas decidiu adormecer com os telemoveis desligados. E foi assim que às 2h da madrugada fomos amaldiçoados por várias pessoas que se tiveram que levantar para ver quem tocava à campainha.

DIA 2

Guarda, 11h00 A festa ontem duro até de madrugada. A João ainda dorme e eu também não estou muito puro. Temos de nos despachar se ainda queremos chegar a horas de ver começar o festival em Burgos.

Local : Guarda

DIA 2Chegámos à serra da Demanda à hora da janta. O estacionamento estava cheio, mas o Ruben – o espanhol de serviço 😉 – já tinha arranjado maneira de nos deixarem estacionar junto aos carros deles onde até deu para montar a tenda. O grupo do Ruben já tinha mesa montada e fomos recebidos como sempre somos em Espanha : estupidamente bem. Após hora e meia de queijos e enchidos fomos até ao palco que ficava a 500 metros e onde apreciámos uma bela noite de música e espanhóis loucos aos saltos até às 3… A noite acabou com um fantástico grupo de seu nome fatty farmers, espanhóis que tocam folk ao género dos drop kick murphies… muito bom.

Curioso, foi apreciar o conceito de cerveja comunitária. Ninguem compra uma cerveja para si, a cerveja, em copos de quase-litro, vai passando de pessoa em pessoa até acabar. Mesmo os conhecidos extra-grupo ao cumprimentarem alguém, se trazem cerveja oferecem e se não trazem és-lhe oferecido. E não se trata de uma mera manobra de cortesia, raramente a cerveja oferecida é recusada.

DIA 3
Dia de relax..estamos completamente routos e a cair de sono, mas passámos o dia em velocidade lenta-parada com o Ruben e companhia. Hoje dormimos em Burgos em casa do Ruben e amanhã, já sem espanhois a dependerem de nós, rumamos ao país do vasco.

DIA 4

Local : Mundaka

DIA 4

Os sacanas dos espanhois são antipáticos e não se esforçam para nos compreender. Toda a gente sabe isso, mas ninguem os informou e eles teimam em ser uns bem-dispostos. Uma trabalheira, estar-lhes sempre a explicar como se deve comportar um verdadeiro espanhol!

Hoje saímos de Burgos (foto) em direção à costa Vasca. O caminho é verde e bastante montanhoso. Fomos directos a Bilbao onde tinhamos estado antes mas só para ver o museu. Desta vez fomos aos pinchos 🙂

Seguimos costa fora até ao campismo onde estamos agora e que fica perto de uma capela que fica no alto de uma ilhota (acessivel por ponte) e que podem ver do lado direito da foto no post anterior.

E agora, dormir que amanhã é dia de mergulho manital na bela praia aqui ao lado.

DIA 5

local de dormida : Orio

Hoje foi dia de praia e megulhos e dia de estreia numa praia de nudismo com traje a rigor. Passámos a praia principal para fugir à multidão e ao passar por cima da rocha por onde viamos algumas pessoas a ir, deparámo-nos com… falta de roupa nos veraneantes. Mas o mar tinha um belo aspecto, por isso toca a vestir o traje da moda no local e a aproveitar o mar.

DIA 6

DIA 7

Passámos a noite no campismo do parque natural de Urbasa e Andia. Há poucas luzes por aqui e o parque fica num planalto a cerca de 1000 metros, o que prporciona uma excelente visão do céu, excelente para ver estrelas, só é pena não ter sido a noite da chuvas de meteoritos que se não me engano é daqui a 4 dias. Antes de deitar ainda deu para ver uma raposa a fugir do parque de campismo com qualquer coisa na boca e ainda ver os cavalos selvagens a pastar mesmo em frente ao campismo. Infelizmente os bichos têm badalos e não deverm dormir, por isso badalou-se a noite toda. De manhã pegámos nas “bicis” e fomos ver as vistas na borda do planalto numa zona chamada “balcão de pilatos” que é no topo de um circo semelhante à fornea na serra d’aire só que maiorzito e com abutres a sobrevoar, De tarde entrámos dentro do circo por baixo subindo o rio Urerreda até à nascente. O percurso é feito pelo meio do bosque e junto ao rio que forma inumeras lagoas de cor azul esmeralda, cor que julgo eu resulta dos fundos calcários. Só na Croácia tinhamos visto parecido.

E agora – como dá para ver pelo tamanho do texto – estamos a fazer nada numa bela sombra no meio do planalto. Esta noite voltamos a dormir por aqui para ver se vemos mais raposas ladras.

DIA 8

DIA 9

DIAS 8,9 e 10

Dormida dia 8 : Ochgavia Dormida dia 9 : bedous Dormida dia 10 : Escarrilla

Os dias continuam intensos e compridos. Levantamo-nos por volta das 8h e só paramos às 24h. Temos visto tanta coisa e dormido em tanto sitio diferente que já nem sei onde estive ontem e o inicio das férias passádo junto ao mar parece uma recordação distante.

Continuamos a percorrer os pirineus em direcção ao mediterraneo onde não vamos de certeza chegar … nem de longe.

Andamos a fazer Ss, entre Espanha e França para tentarmos ver o que melhor há de cada lado da fronteira.

Já mergulhamos em águas translucidas, já caminhámos em belas paisagens pejadas de cavalos selvagens, já jantámos numa bela festarola de terrinha no meio de nada, já assistimos à “subida impossivel” (prova em que motas tentam subir uma montanha quase vertical), já ficámos entalados entre cavalos e vacas sem saber como dali saír, já comemos e bebemos tapas, pintxos, tintos, rosados, canhas, …

Enfim, umas férias cheias mas cansativas. Nunca mais chega ahora de voltar a trabalhar para podermos descansar um bocado 🙂

DIA 11
Dormida em terrinha cujo nome não me lembro

Hoje continuámos as nossas voltas pelos Pirinéus Franceses por paisagens fora de série, mas o ponto alto foi quando vimos junto à estrada onde seguiamos a inidicação de que havia uma via ferrata por perto, Metemo-nos a caminho bosque adentro para a ir ver (na falta de equipamento para a fazer) e no fundo do vale junto ao rio lá estava ela e nela 4 sortudos a fazer o inicio que era uma tirolesa por cima do agitado rio. Ficámos a ve-los um bocado e quando os perdemos de vista avançámos junto ao rio onde ekes depois de terem passado para a outra margem voltavam a esta. Nessa pasagem uma das raparigas desistiu e nós oferecemo-nos para a acompanhar à estrada porque ela estava quase em panico com a experiencia. Como sobrava um equipamento eles perguntaram se um de nós queria ir! Nem se pensa duas vezes!! Siga o Cláudio que andava desejoso de experimentar uma ferrata digna desse nome. E lá fui eu por cima do belo rio e rocha acima numa bela escalada que rendeu uma bela hora.

Há dias de sorte.

Para ajudar à festa a desistente (porto-riquenha) falava Português e: quando se apercebeu que a João era Portuguesa ficou radiante, pois há 10 anos que não treinava e aproveitou para contar a história toda de Poro-Rico à João enquanto nós escalávamos.

DIA 12

Com as férias mesmo no fim e com algumas sugestões de onde passar o dia, a escolha foi difícil mas acabámos por ficar pela zona conhecida como Pont D'Espagne onde fizemos uma fantástica caminhada até ao refugio de montanha oulletes de gaube

Track da descida:

Depois…foi começar a volta para casa e nessa noite, dormimos aqui.

 

DIA 13

E pronto, foi levantar, ir até à terrinha mais perto tomar o pequeno almoço e como havia festa tivemos direito a pequeno-almoço acompanhado de música ao vivo e toca a subir os pirinéus de volta a casa.

Pelo caminho ainda parámos em Zaragoza que tem uma praça principal absolutamente brutal!

 

Fotos
País Basco
[flickr-gallery mode=”photoset” photoset=”72157631374924034″]

Parque Natural Ubasa-Ainda
[flickr-gallery mode=”photoset” photoset=”72157631317880022″]

Pirinéus
[flickr-gallery mode=”photoset” photoset=”72157631209503990″]

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
Para Partilhar, É Só Clicar...

Leave a Reply

Cláudio nas Nuvens